Os Cristãos Estudantes da Bíblia



“Cristãos Estudantes da Bíblia” é o nome de um ministério promovido pelos irmãos André e Simony, bem como por outros queridos irmãos que compartilham de nossa visão de um cristianismo mais simples e puro. Antes éramos conhecidos como "Estudantes da Bíblia Bereanos", que destacava nossa vontade de termos uma mente aberta e nobre como a dos bereanos da Igreja primitiva. Em 30 de junho de 2020 decidimos mudar de nome, após uma consideração por oração, para refletirmos mais nossa postura não sectária, com o foco em Jesus Cristo. "Cristãos", segundo a Bíblia, é o nome que os santos de Antioquia passaram a usar para si mesmos, com a aprovação divina. (Atos 11:26) Nosso nome atual reflete nossas prioridades e aspirações: somos, acima de tudo, cristãos, e somos estudantes da Bíblia. Nosso grupo é fruto do ministério pessoal e missionário da Irmã Marge Hagensick. Historicamente, estamos associados ao Movimento dos Estudantes da Bíblia fundado pelo Pastor Russell em meados de 1870, porém, doutrinariamente, podemos divergir de alguns pontos secundários, de acordo com nossa consciência pessoal.

O Pastor Charles Taze Russell

Prezamos muito nosso amado Irmão Russell, mas não o vemos como uma autoridade final e absoluta em tudo o que ele escreveu. Russell certamente tinha bênçãos especiais de Deus, um coração de ouro e uma coragem de defender a Verdade. Mas Russell não era inspirado, nem infalível. O próprio Russell não via a si mesmo desse modo:

"Alguns dos queridos irmãos parecem encontrar tantas referências sobre o irmão Russell na Bíblia quanto encontram sobre o Senhor Jesus, e acho que isso é um grande erro. Eu não as encontro lá. Alguns deles dizem que estou cego sobre esse assunto, que todos eles podem ver melhor do que eu. Talvez eles possam, eu não sei, mas eu acho, queridos amigos, que há um perigo nessa postura, e eu gostaria de alertar todos vocês sobre isso. Penso que é a vontade do Senhor que reconheçamos todo instrumento que Deus usa, mas não devemos reconhecer qualquer instrumento de Deus como estando em qualquer competição, seja qual for, com o Senhor ou com seu arranjo divino. Ele é a fonte da bênção, e só ele é mais louvável. Eu acho que esse é o sentimento certo. Acredito que todos vocês concordam com isso. E, no entanto, acho que há o perigo de alguns queridos amigos pregarem o irmão Russell. O irmão Russell gostaria que você não fizesse isso. Ele acha que não seria para a glória de Deus. Deixe-me repetir, então, queridos amigos, que na minha opinião temos muito do Evangelho de Deus, tanto do seu plano para estudar, tantas oportunidades de mostrar seus louvores, que devemos empregar todo o nosso tempo dessa maneira. Meu conselho, portanto, é que prestemos pouca atenção a qualquer coisa fora disso. As Escrituras de fato dizem que podemos prestar honra àqueles a quem a honra é devida, e isso é aplicável a qualquer um e a todos; como, por exemplo, olhamos para trás e vemos Martinho Lutero, e agradecemos a Deus pela grande obra que ele fez; e podemos dizer o mesmo de John Wesley e com muita sinceridade; estou contente com a providência de Deus que ele viveu e que ele era um homem fiel. E havia outros do povo do Senhor no passado. Sejamos felizes e nos regozijemos com cada um deles e, podemos ser gratos a Deus por ele ter usado vários instrumentos para nos ajudar e ajudar os outros, e para apresentar sua grande causa; mas não podemos nos inclinar para qualquer coisa que se assemelhe a adoração de homens, pois tenho certeza de que o Senhor não se agradaria disso e causaria danos a nós mesmos. Lembro-lhes novamente das Escrituras em Apocalipse, onde a Igreja é retratada, ao que nós chamamos atenção, creio eu, trinta anos atrás. João, o Revelador, que estava vendo essas coisas, prostou-se para adorar o anjo que as mostrou a ele, e o anjo disse: "Não faças isso; adorare a Deus; eu sou teu conservo". E assim, queridos amigos, se nosso Pai Celestial e nosso Senhor Celestial usaram o irmão Russell em qualquer medida, ele está muito feliz e muito agradecido por ter sido usado. E se o Senhor tiver prazer em usá-lo mais, ele ficará feliz em ser usado até o último suspiro, mas ele não quer nenhuma adoração, ele não quer qualquer adoração indevida, ele não quer nenhum elogio. Ele está contente de ter o amor de todos aqueles que são irmãos do Senhor e de ser considerado um conservo de todos, esforçando-se para levar a efeito todas as coisas gloriosas que Deus prometeu, esforçando-se para declarar as boas novas de grande alegria a quantos o Senhor, nosso Deus, chamar." — Relatório de Sermões da Convenção de 1910, pág. 125, em inglês.


Pastor Charles Taze Russell

Infelizmente, essa postura de colocar num pedestal o líder, ou líderes, de determinado movimento religioso, é algo bastante comum na história dos Movimentos Religiosos. Com o tempo, seus ensinamentos acabam virando dogmas pétreos e, por causa disso, qualquer desenvolvimento posterior de mais verdades, qualquer esclarecimento advindo de mais dados históricos ou mesmo em virtude da época em que se vive acabam sendo rejeitados. Como Cristãos Estudantes da Bíblia, procuramos evitar isso, ao passo que continuamos a defender aquilo que é claramente correto.

Veja também:


Em que diferimos dos Estudantes da Bíblia “tradicionais”?

Os bereanos do passado avaliavam primeiro cada ensino à luz da Bíblia antes de aceitá-los. Foram chamados de mais “nobres” por terem essa mentalidade. (Atos 17:11) Procuramos fazer o mesmo. Assim, certos escritos do Pastor Russell, como por exemplo sobre Cronologia e a Grande Pirâmide de Gizé não são dogmas entre nós.

O mesmo afirmamos para outros aspectos posteriormente ensinados sobre Charles Taze Russell. Deixamos em aberto a questão de ele ser o “escravo fiel e prudente” de Mateus 24:45. De modo geral, cremos que esse ensino se aplica a todos os cristãos gerados por Espírito em toda a Era Evangélica. Também, não afirmamos categoricamente que Russell seja o “Mensageiro de Laodiceia”, pois há outras explicações mais plausíveis para os anjos, ou mensageiros, enviados às sete eclésias (congregações) de Apocalipse. Entretanto, não queremos ser dogmáticos. Por isso, respeitamos opiniões em contrário sobre esses assuntos. E, por prezarmos a verdadeira liberdade, consideramos como irmãos e irmãs em Cristo aqueles irmãos de outros grupos que acham que esses ensinos têm alguma importância bíblica. “Esteja cada um plenamente convencido em sua mente.” (Romanos 14:5)

Somos livres para expressarmos opiniões diferentes em doutrinas não salvíficas ou secundárias, mas isso não significa que descartamos totalmente todo e qualquer ensino do Irmão Russell, ou que estamos abertos para aceitar opiniões contrárias sobre as Verdades fundamentais de que não há Trindade, Inferno de Fogo, alma imortal, etc.

Somos livres de alguns erros doutrinais, mas ainda assim somos escravos de Deus, de Cristo e de nossos irmãos. Defendemos, como todos os Estudantes da Bíblia ao redor do mundo, os mais altos padrões de moral bíblica. Jamais confundamos nossa liberdade em Cristo com “libertinagem” para fazer as obras da carne.

Como bons estudantes, queremos entender e pesquisar os ensinamentos vigentes nos diversos círculos do Movimento dos Estudantes da Bíblia, mas não queremos impor nossa opinião a ninguém nesses assuntos. Tampouco queremos fundar uma nova religião, movimento ou organização. (Veja “NOSSA MISSÃO”) Acima de tudo, queremos entender e estudar a Bíblia Sagrada, essa sim, fonte inerrante e derradeira de toda a Verdade.

Para maiores informações, queira ver também o subtópico PERGUNTAS SOBRE OS ESTUDANTES DA BÍBLIA, CRENÇAS E PRÁTICAS, na postagem Perguntas frequentes sobre os Estudantes da Bíblia. E também:

Tem perguntas? Deixe sua pergunta em nosso grupo do WhatsApp.📱

Comentários

Postagens mais visitadas