Os Cristãos Estudantes da Bíblia e a liberdade cristã


“E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” — João 8:32

Apenas Jesus Cristo é “o Caminho, a Verdade e a Vida” (João 14:16). Por isso, não devemos buscar a nenhum homem, grupo de homens, organizações, associações e/ou movimentos religiosos para obter a salvação. Isso inclui o pequeno ministério dos Cristãos Estudantes da Bíblia. Nós não oferecemos salvação; mas como você, estamos em busca dela.

O perigo que queremos evitar

Existe um perigo inerente quando formamos grupos de estudo e este é o de o grupo criar tantas regras e definir tantos entendimentos que, com o tempo, virem “ortodoxia” ou dogmas e passem a cercear a liberdade cristã de seus integrantes. Assim, ao passo que certa medida de ordem seja útil e desejada, não devemos esperar uma padronização exagerada de todos os procedimentos. Não devemos impor nossa forma de se reunir nem de estudar a outros grupos. Queremos que todos usufruam da plena liberdade cristã nesse sentido. No sentido doutrinal, pedimos união em apenas alguns poucos assuntos doutrinais  ao passo que somos generosamente flexíveis nos demais assuntos secundários.

O formato das reuniões

Cada grupo deve decidir que formato usará, bem como a matéria que será estudada. Sugerimos que, qualquer que seja o formato escolhido, a Bíblia tenha destaque em todas as reuniões.

Muitos grupos seguem o seguinte formato:

• Leitura e Estudo da Bíblia
• Testemunho, Oração e Louvor
• Estudo de artigos

O acima é meramente uma sugestão. Cada grupo deve escolher sua própria forma de se reunir.

Publicações

Para usufruirmos da plena liberdade cristã, nenhum grupo deve impor ao outro o que estudar, o que usar como hinário e o que usar como devocional. Embora tenhamos os Hinos da Aurora do Milênio, que é uma excelente coletânea de hinos clássicos, reconhecemos que há muitos outros hinos belos e espirituais que não estão incluídos nessa coletânea. Portanto, cada grupo deve se sentir livre para usar aquilo que melhor agradar a seus membros. No caso dos devocionais, embora nosso grupo local use o Maná Celestial Diário, reconhecemos que há outros excelentes devocionais, e não queremos impor a nenhum como o “padrão”. Naturalmente, o cristão que ama a verdade saberá selecionar hinos e devocionais que não contenham crassos ensinos errados.

Em nosso site você encontrará diversas publicações em português que poderão ser usadas. Mas sinta-se à vontade para usar a(s) publicação(ções) que preferir, inclusive se não estiverem em nossa Biblioteca dos EB. E mesmo as que estão em nossa Biblioteca apresentam um leque amplo de entendimentos em diversos assuntos, alguns dos quais não estamos de pleno acordo. Lembre-se: Não queremos doutrinar a ninguém, apenas “acender o fogo” do amor pelo estudo da Bíblia na sua forma mais simples, bem como fornecer uma oportunidade de comunhão cristã.

A comunhão cristã

“Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas procuremos encorajar-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês veem que se aproxima o Dia.” (Hebreus‬ ‭10:25‬, NVI)‬‬

Sempre que for possível, sugerimos que haja reuniões presenciais. Mas com a tecnologia moderna, hoje é possível realizar reuniões por videoconferência. De qualquer modo, as reuniões devem servir de encorajamento cristão. No que diz respeito a estudo de doutrinas, recomendamos um aprofundamento das doutrinas fundamentais, conforme elaborado no artigo As Colunas da Verdade. Em qualquer outro assunto é importante que haja plena liberdade de expressão de pontos de vista diferentes. É possível ter uma discussão civilizada sobre pontos secundários da Bíblia. Cada um deve expor seu ponto de vista fundamentado em seu entendimento da Bíblia. Lembramos que EXPOR é bem diferente de IMPOR. Visto que hoje ninguém é “guiado”, “iluminado”, “orientado” de modo sobrenatural e/ou especial por Deus, devemos encarar opiniões diferentes como igualmente válidas e plausíveis, embora, naturalmente, possamos formar nossa opinião quanto ao que parece mais plausível/verdadeiro. Acima de tudo, quando há amor e respeito pelos irmãos, naturalmente haverá tolerância também.

Mesmo quando há divergências de entendimento, pode-se fazer um esforço para encontrarmos um denominador em comum. Por exemplo: Talvez um irmão creia que os 144 mil seja um número literal, e outro irmão creia que seja simbólico. Ambas as opiniões são válidas, mas qual é o ponto em comum delas? O fato de que o número, literal ou simbólico, ainda é infinitamente menor em relação aos bilhões da humanidade desde o primeiro casal humano até nossos dias. Por se buscar pontos em comum, o estudo flui mais harmoniosamente, em vez de se tornar uma arena de infindáveis debates. O mesmo podemos dizer quando estudamos as publicações do irmão Russell. Talvez não concordemos com certos pontos expressos, e precisamos ter cuidado ao expressar nossa divergência. Há ricas pérolas espirituais nas publicações de nosso irmão Russell, e precisamos saber colhê-las com sabedoria. Também é muito proveitoso o estudo de “pontos pacíficos”, isto é, de assuntos com ampla aceitação entre os membros do grupo. Um exemplo disso é o estudo do Caráter Cristão, sobre como podemos atingir “a altura, a largura e a profundidade” de Jesus Cristo, nosso Senhor.

Sobre o que e como pregar

“Portanto, vão e façam discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo, ensinando-os a obedecer a tudo o que eu lhes ordenei.” (Mateus 28:19, 20)

Pregar é uma comissão divina. Todo cristão verdadeiro prega. Quem não prega nunca, provavelmente ainda não foi chamado por Deus. Mas sobre o que e como pregar, considerando que temos tanta flexibilidade em assuntos doutrinais e procedimentos? Na verdade, a pregação é bem simples e se centraliza no Reino e na palavra do Senhor Jesus:

“Consequentemente, a fé vem por se ouvir a mensagem, e a mensagem é ouvida mediante a palavra de Cristo.” (Romanos 10:17)

“Daí em diante Jesus começou a pregar: ‘Arrependam-se, pois o Reino dos céus está próximo’.” (Mateus 4:17)

Há muitos outros pontos sobre os quais podemos pregar, inclusive sobre as poderosas verdades bíblicas de que não há Trindade, Inferno de Fogo e Alma Imortal. Quando alguém nos perguntar sobre pontos secundários, podemos oferecer nosso ponto de vista e dizer que nem todos os irmãos pensam assim. É melhor sermos humildes e flexíveis do que dogmáticos e rígidos nesses outros assuntos.

Quanto à forma de pregar, cada cristão deve usar o método que melhor lhe agradar. Podemos pregar a amigos, parentes, colegas de trabalho e de estudo. Podemos pregar pela internet, nas ruas e até de casa em casa  embora haja evidências de que esse método não era usado pelos cristãos primitivos.

Unidos nas coisas essenciais

Os Cristãos Estudantes da Bíblia não pretendem se tornar uma religião, movimento, associação ou organização religiosa. Somos apenas um esforço familiar e fraternal de nos unirmos livremente nas coisas essenciais. De provermos, um ao outro, um pouco de companheirismo cristão e incentivo para o amor e boas obras. Não queremos que nosso nome, com o tempo, se torne uma instituição. O nome Cristãos Estudantes da Bíblia é meramente uma nomenclatura descritiva, tão bom como qualquer outro nome. Não queremos impor nosso nome nem nossos métodos a ninguém. O que oferecemos aqui são meramente sugestões baseadas num espírito de amor e liberdade cristã. Se você gostou das sugestões, use-as. Se não gostou, descarte-as. Ou as adapte para sua situação local. Pedimos suas orações para que nossos esforços sejam abençoados, assim como oramos para que seus esforços sejam igualmente abençoados.

“Nas coisas essenciais, a unidade; nas coisas não essenciais, a liberdade; em todas as coisas, o amor.”

Obs.: Este é um artigo em construção 🚧

Tem perguntas? Deixe sua pergunta em nosso grupo do Telegram. 📱

Comentários

Postagens mais visitadas